domingo, 28 de fevereiro de 2010

Notícias do Front: as tropas de Dilma já estão na margem do Oder, ou seria do Tietê?


A política é uma guerra, disto ninguém tem dúvida. Assim, através das metáforas da guerra podemos ver muito do universo da política. Seguindo esta linha, nós podemos imaginar que a “crise do mensalao” foi a “Stalingrado” das tropas do comandante Lula. Naquele momento, o golpe da direita parecia inevitável, foi caindo general por general e a iminência de uma tentativa de “impeachment” era o fantasma da capitulação que assombrava a esquerda. Uma derrota ali seria um atestado de rendição incondicional, a qual aniquilaria a esperança da esquerda por muitos anos, décadas talvez.
No entanto, o que parecia improvável aconteceu. Mesmo com um número de baixas terríveis, a cidade completamente destruída (90% dela ficou sobre controle alemão), a resistência russa impôs uma derrota inesperada ao então poderoso Wehrmacht (exército alemão). A “batalha de Stalingrado” tornou-se o símbolo do início da derrota do III Reich, e, daquele momento em diante as tropas de Hitler se orientaram por apenas uma tática militar: a retirada. Os russos foram retomando cidade por cidade do seu território, os tanques T-34 colocavam os alemães para correr nas planícies da Ucrânia, os países do leste eram libertados um por um do jugo nazista, até que as tropas do general Zhukov alcançaram as margens do rio Oder, o qual divide a Polônia da Alemanha. Naquele momento a história estava prestes a ver uma de suas mais épicas batalhas, alguns diriam que neste palco se encenaria o ato final da ópera de Wagner chamada “Die Götterdämerung” (o crepúsculo dos deuses). Enfim, ali começava a batalha de Berlim, a qual levaria a capitulação final dos nazistas.
Depois de sobreviver inesperadamente aos bombardeios intensos da “crise do mensalao”, Lula vê diante de sua frente apenas uma palavra: vitória. Suas tropas parecem as da Rússia após “Stalingrado”. Sua popularidade vai atingindo mês a mês níveis jamais vistos na história deste país, e fora dele também. Talvez apenas D. Pedro II foi tão admirado fora do Brasil. O nordeste se converte em “sua Ucrânia”, o DEMO(PFL) foi varrido de sua base nos sertões nordeste como os alemães foram varridos das estepes da Ucrânia. Agora, sua general Dilma, alcança inesperadamente as “margens do Oder”, seus exércitos avançaram mais rápido do que o esperado.
A última pesquisa do Datafolha mostra isso, o empate técnico entre Dilma e Serra mostra que a candidata do Lula já está pronta para a guerra, pronta para esta próxima eleição que já se mostra com ares épicos, parecidos com a de “89”. Enfim, os exércitos de Dilma já estão de guarda montada nas margens do “Oder-Tietê”, só não sabemos ainda se ocorrerá a capitulação final da São Paulo-Berlim.


Numa visao menos literária, veja o texto abaixo.




Dilma já empata com Serra


Por Rodrigo Vianna do blog escrevinhador


A "FolhaOnline", até tarde da noite, ainda escondia os detalhes da pesquisa. A idéia é forçar o povo a comprar o jornal. Ok. Gastei meus 4 reais. E tenho aqui o diário impresso.

Os números são avassaladores.

No cenário mais provável, a situação é a seguinte: Serra 32% (contra 37% em dezembro), Dilma 28% (23% em dezembro), Ciro 12% (13% em dezembro) e Marina 8% (tinha os mesmos 8% em dezembro).

A manchete do jornal destaca esse quadro: "Dilma cresce e já encosta em Serra".

Ok. Está correto.

Mas, quando digo que os números são avasaladores, refiro-me a outras variáveis. Vejamos...

1) Rejeição - Serra é agora o mais rejeitado: 25% não votariam nele de jeito nenhum, contra 19% em dezembro.

2) Voto espontâneo - Dilma está em primeiro lugar, com 10%; com os mesmos 10% aparece... Lula! Serra é apenas o terceiro, com 7%; em quarto aparece o "candidato de Lula", com 4%, em quinto está Aécio, com 1%.

Reparem que a soma de Lula/Dilma/"candidato de Lula" alcança 24%, contra 8% de Serra/Aécio.

3) Transferência de Voto - 42% dizem que votariam num candidato apoiado por Lula; 26% dizem que "talvez" votariam em quem Lula indicar; e só 22% afirmam que "não" votariam no candidato de Lula.

4) Conhecimento do candidato - Serra é conhecido por 96%, Dilma é conhecida por 86%.

Resumo da ópera: há uma avenida aberta para que Dilma siga a crescer.

À medida que ela se torne mais conhecida, a tendência é que a intenção de voto em Dilma se aproxime dos 42% - que é o total de eleitores inclinados a escolher um candidato indicado por Lula.

A "Folha" escolheu não brigar com os números. Com uma exceção: o jornal diz que "é impreciso dizer que o levantamento indica um empate estatístico". Êpa. Aí, não. Estamos, sim, diante de um "empate técnico", no limite da margem de erro.

Mas isso é detalhe. O que importa é a tendência, anotada também na simulação de segundo turno: a diferença entre Serra e Dilma desapareceu: Serra tem 45%, Dilma tem 41%. Em dezembro, a vantagem de Serra era de 15 pontos. Agora, evaporou.

Diante disso, a colunista Eliane Cantanhêde parece desesperada. Na página 2 do jornal, ela escreve o texto "Ou vai ou Racha", com destaque para a seguinte pérola: "a eleição atingiu o ponto ideal para a definição de Aécio Neves: sempre se soube, mas nunca tinha ficado tão evidente o quanto sua candidatura a vice é fundamental para a oposição".

"Ponto ideal" pra quem, cara pálida? Cantanhêde quer empurrar Aécio pro fogo. Quer que ele perca agarrado a Serra.

Vamos raciocinar friamente. Se Aécio aceitar ser vice, e Serra perder (o que parece provável, dado que a soma dos votos espontâneos nos dois fica em um terço do total de votos espontâneos para Dilma+Lula+candidato do PT), o mineiro perde junto. Se Aécio aceitar a vice, e Serra ganhar, Aécio vira sócio minoritário da vitória.

Os jornalistas serristas, depois de espalhar por aí que Aécio bate na namorada e tem hábitos pouco ortodoxos, agora querem a ajuda do mineiro para salvar Serra.

É ruim, hem!

Do jeito que a coisa vai, estaremos em breve diante do seguinte quadro: Serra segue até o fim, em queda, e aí parte para o desespero, recorrendo a dossiês e ao esgoto jornalístico contra Dilma; ou Serra desiste antes de abril, e estaremos diante da situação inimaginável de ver os tucanos implorando a FHC para concorrer, em nome da sobrevivência do partido.

Quanto a Dilma, devo lembrar como bom corinthiano, o ideal é escapulir do salto alto. A pior besteira do mundo seria acreditar no já-ganhou. Corinthianos costumam pensar assim: quando tudo parece ir bem, é sinal de que algo errado pode acontecer em breve.

Mas falando sério: Dilma precisa lembrar que a elite (incluindo boa parte da classe média urbana) segue contra ela. Especialmente no Sul e Sudeste. Os mais escolarizados apóiam Serra - isso também aparece na pesquisa.

A mídia detesta Dilma (apesar dos sinais de que Globo e Lula parecem ter conversado nas últimas semanas, em busca de uma trégua - volto a isso em outro texto...).

Jornalistas do esgoto desesperados. Demos desesperados. Tucanos desarvorados. Essa gente toda somada é capaz de muita sujeira até a eleição.

Dilma que se prepare. Com ou sem acordo com a Globo, muito chumbo virá.

P.S.: escrevi aqui, em texto anterior, que a pesquisa DataFolha incluía outras perguntas - entre elas uma sobre a influência do "Bolsa-Família" na escolha eleitoral - http://www.rodrigovianna.com.br/plenos-poderes/especialista-em-serra-datafolha-esta-em-campo. Esses números não apareceram na "Folha" deste domingo; o jornal pode ter guardado pra mais tarde, ou repassado os resultados só "a quem interessar possa". A conferir...

24 comentários:

douglas da mata disse...

Engraçado, Brand.

Veja como na guerra e na política, as imagens simbólicas são importantes:

Na derrota de Stalingrado e no contra-ataque soviético, os aliados construíram uma imagem de que o "general inverno" foi o único responsável pela derrocada alemã.

Eu nunca tinha ouvido falar em Zukhov e Stalingrado até bem pouco tempo, e olha que fui aluno de boas escolas públicas como o Liceu e a ETFC(atual IFF).

Embora esse tivesse sido um componente importante, esse discurso visava diminuir a façanha soviética e, é lógico diminuir os efeitos que essa espetacular vitória, com o sacrifício de 25 milhões de soviéticos, e destruição de suas mais importantes cidades, teria na "guerra ideológica" que se aproximava.

Eu fico a imaginar quem ou o quê seria nosso "general inverno".

Há muito a mídia procura diminuir as façanhas do governo, e até certos setores do nosso partido parecem "engolir" esse brocado de anti-propaganda.

E o pior: creio que no desespero, serra/hitler apele para aumentar o ritmo do extermínio, aqui nesse caso, da verdade e do bom senso, que desde o início estavam segregados em campos de concentração de mídia.

Um abraço, e parabéns pelo texto.

Never surrender and no mercy.

Brand Arenari disse...

Tem muita coisa de história que nao vemos no colégio, uma pena. Como sempre meu livro de história do colégio era do Mario Furley, ou seja, um manual vermelho, me lembro que tinha uma caixa de texto no livro falando do mito do general inverno. Ahahaha
Embora eu também tenha estudado boas escolas e fui aluno de Renato (Barreto), e mesmo já tendo uma predilacao sobre este tema, fui apreender muito sobre a segunda guerra aqui. Descobri muitos sites interessantes com artigos e relatórios diários da segunda guerra (inclusive em português), que ocuparam muito dos meus dias de solidão aqui. Te envio os linkes se quiser.

Quanto ao nosso “general inverno” imagino que ele seja a falácia que o sucesso do governo Lula se deve a continuação do governo FHC, que Lula é apenas um sortudo que herdou um reino dourado do gênio FHC e ainda que Lula não enfrentou graves crises econômicas mundiais.

Assim como pouca gente acredita no poder decisivo do “general inverno” russo, acho que ninguém mais acredita no “general inverno” da direita brasileira.

Um abraço

Roberto Torres disse...

Nossa democracia precisa de uma oposicao melhor. E melhor nao significa incomodar menos o governao nao. Alias essa incomoda muito pouco.

nucleolenilsonchaves disse...

Eu também acredito nisso Roberto.

A "qualidade de nossa Democracia" apenas será aprimorada por uma oposição melhor.

É interessante observar que em alguns cantos, como Campos dos Goytacazes, temos que aprender a fazer oposição.

Esse é o esforço que praticamos lá em nosso espaço, e que compartilhamos aqui com vocês, nessa ótima arena de debates.

Um abraço.

Rosângela, uma das danielas timóteas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rosângela, uma das danielas timóteas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rosângela, uma das danielas timóteas disse...

Só quero dizer uma coisa:

Nessa "Arena" de Debates está faltando um General que é de todas as estações, mas apesar disso, são muito boas as considerações aqui.

Já que estamos falando em livros, seria bom a leitura do livro “Sombras de coisas que virão” do Rick Joyner: dois livros que abordam sobre as guerras e o desfecho provável. Muito bom mesmo. Até para não nos pegar desprevinidos.
E obrigada por me permitir participar.

Um abraço ao Brand, Torres, e Douglas.
Vocês viram o blog da Dilminha? Gostei muito.

Rosângela fazendo continência para o General dela.

Brand Arenari disse...

Repito o que já disse aqui, preciamos de uma boa oposicao ao governo Lula, pq essa aí nao serve pra nada, os mais conservadores vao pensar em golpe.
Quanto a Campos, confesso que estou perdendo as esperancas. . . tá cada dia mais difícil. O post da vereadora Odisséia sobre Barcellar é desanimador. . .

Rosângela, uma das danielas timóteas disse...

Brand??/ Oposição a Lula???
Num intendi nada agora...

Eu, tudo bem, não estou a favor nem contra a ninguém, só quero ver os governantes envolvidos com tudo o que é vida.

Mas você, eu pensava que era Lula...
Né, não?

Iiiii política é muito complicado.

Rosângela, uma das danielas timóteas disse...

Gente, eu tô cara pálida.
Sinceramente.

A oposição não é porque o povo tá levando fumo com a situação, não?

Outra coisa, Torres, que negócio é esse de "oposição à democracia? Ato falho, é?

ass. cara pálida... :(

Roberto Torres disse...

Sem dúvida Douglas,

ai ficamos a esperar o que vai ser do PSDB.

Oposicao a Lula sim Rosangela!
Ninguem aqui sonha com um regime sem oposicao. Sabemos que uma hora o PT sairá do poder e, na minha visao, seria bom para o projeto de país que defendemos que houvesse uma oposicao capaz de mobilizar algum sentimento novo que o PT nao poderá dar conta sendo governo.

abracos,

Roberto Torres disse...

É Rosangela, nao tem jeito mesmo...

Xacal é que tinha razao....nao se pode dar nenhum crédito a voce. Distorcer, retirar do contexto para "semear a desconfianca" de que nao sou adépto da democracia. Eu disse "nossa democracia precisa de oposicao". Quem leu o texto e os demais comentarios sabe que eu estava falando da falencia da atual oposicao. E ai vem voce, além de retirar o contexto, FRAUDRAR minha frase (oposicao à democracia? Onde está isso?).

Tenho pensado muito sobre a necessidade de nao ser intolerante com quem professa uma fé religiosa, como voce diz fazer. Sempre convivi e inclusive trabalho com pessoas que tem fé. Mas a questao nao esta aí. Com essas pessoas, muitas sem nenhuma escolaridade, é possível conversar sobre todos os assuntos. E porque? Porque se cria um respeito ao que foi sugerido como tema no contexto. Mas voce faz sempre o contrário. Nao respeita a conversa que já ta rolando.

Sua tara é sempre simular um clima de perseguicao, onde voce, claro, pode ser sempre a vitima. Os evangélicos com quem convivi por muito tempo nao sao assim gracas a Deus. Por isso, quando ninguem reage as suas provocacoes (que nao sao provocacoes ao debate, mas contra ao debate), voce tenta pintar a figura de alguém contra a democracia, como fez comigo.

Xacal é que tinha razao....

Anônimo disse...

Finalmente os admins abriram o olho...

Ferro na jumenta !!

Douglas da Mata disse...

Brand,

Veja que o post da vereadora foi seguido de outras intervenções em sentido contrário.

Acho que nessa aproximação, tanto nossa em relação a ela(pois, arrogantemente, me considero parte desse grupo que quer intervir na política local)vai haver algum truncamento e isso é mais que normal.

Mas todos nós temos que desenvolver tolerância política, ous seja, nesse caso, compreender o espaço e ambiente na qual a vereadora está imersa, e que às vezes, a reação é meio intempestiva.

Com isso não estou dizendo que ela é ingênua ou que não sabe o que diz.

Mas erros são plausíveis.

Se isso lhe traz conforto, mantivemos um bom diálogo no domingo pela manhã, onde discutimos uma estratégia para superar esse mal entendido.

O resultado pode não ter sido o esperado, mas demonstra o desejo de acertar.

Um abraço.

Brand Arenari disse...

Só a notícia do diálogo já é confortadora, mas ainda é pouco. O que me desanima é a possibilidade da impossibilidade do diálogo, e foi que o post da vereadora me transpareceu.
Espero muito (de verdade) que minha impressao esteja equivocada. Ficarei muito triste caso o contrário.
Um abraco.

Rosângela, uma das danielas timóteas disse...

Tudo bem, você pode se defender e me explicar e eu me retratar e continuar o debate. Ou não?

Ou ofendi você? Não entendo isso. Não tem nada a ver com ser ou não evangélico. Eu falei o que entendi.

Pelo que vi, você continua rusguento e colocando a culpa de minhas palavras em religião. Eu não tenho religião, E trato vocês com educação.
Não entendo. Por que desrrumar as peças e acabar com a brincadeira?Não poderíamos continuar o diálogo?
E quem disse que sou vítima? Nunca me senti. Estou muito bem.

Não entendo esta sua fala. Mas tudo bem. Tchau. Nâo tem jeito mesmo. Sem diálogo. E achei muito infantil essa:" bem que fulano falou...". Sabia que ninguém faz minha cabeça contra ninguém? Ninguém. E que procuro separar a pessoas de suas idéias? Já pensou vocês num comando de algo? Já pensou?
Quer dizer que se a gente entender algo errado, se a gente entender e se posicionar e se esta posição ferir as idéias de vocês o opositor tem que sair?
È assim mesmo?É isso mesmo? Que democracia, hein?

Continuo cara pálida.

Rosângela, uma das danielas timóteas disse...

Este texto ate me lembrou do blog botafoquismo.


Kêkéisso, Torres? Você é um educador, cara. E começou bem me tratando com educação, mas depois não sei o que te deu e falou até em "tara"... hehe!!
J:(

Debate não tem antagonismo? Tô entendendo nada.

Douglas até se referiu a Odisséia , diálogos, essas coisas...

Gente, se mudar a democracia para o que vocês acham que é democracia está todo mundo no FERRO. Isso sim.

Anônimo disse...

O phoder de irritar os outros...

Roberto Torres disse...

Rosangela, voce nunca foi impedida de postar aqui, a nao ser quando seus comentarios nada tinham em direcao ao tema.

Esse critério vale para todos que queiram comentar e debater, e na maioria dos blogs. Quem dirige o blog propoe uma agenda, quem se interessa por ela pode e é convidado a participar. Assim tambem é no seu blog, e em muitos. O que voce faz? Quase nunca se importa com nossa agenda. Brand escreveu sobre política, Lula, Dilma, etc. O que voce tem a dizer sobre esses temas? A palavra está com voce. Mas voce só a usa para fazer propaganda pessoal, dizer o quanto é humilde e portadora da sabedoria em ouvir. O quando nós temos que aprender a te tratar com educacao, ouvir o que voce fala...

Voce se coloca como se fosse desprovida de qualquer interesse, e isso nao cola com ninguem aqui. Na verdade é um auto-engano que nao engana ninguem.

Aqui o opositor nao tem que sair. Mas qual é sua posicao? O que voce pensa sobre política? Se for para dizer que falta humildade, sinceridade e a Bíblia, nao é motivo para voce sair. Mas é motivo para que ninguem se interesse pela sua opiniao aqui.

Se quiser debater é so ter uma posicao, analitica ou valorativa, sobre o que esta sendo proposto. No caso aqui politica nacional.

douglas da mata disse...

Tens a minha garantia, se é que isso vale alguma coisa.

Rosângela, uma das danielas timóteas disse...

iEu não falo que sou humilde. Bem que eu quero ser.
Já começou a melhorar.

Mas vou ser muito sincera, foi justamente com o PT que aprendi que temos que ter liberdade de espressão. Que todas as idéias são válidas. Eu não saí tanto do texto assim não.
Ora, se um pais tem muitos cristãos sociologicamente falando é um "fenômeno" para se parar e pensar.
Somos inteiros, não somos partidos. Não somos uma hora p/ ser social, outra para ser religioso e outra ainda para ser político.
Quando estou aqui escrevendo está aqui a Rosângela inteira com sua história e leituras e você e os outros aí também.
Por que os "diferentes" não podem sentar numa mesma mesa e cada um dar sua copntribuição?

Esta postagem foi muito interessante e até falei do Rick Joyner que fala justamente sobre o tema. Mas há um PRÉ- conceito.

Aqui vocês estão falando de vitórias, derrotas, estratégias. O Douglas falou sobre quem seria o general inverno, e eu falei sobre um General também.
Por que querer negar que o aspecto espiritual interfere no natural, se muitas vezes os símbolos são justamente para interferir sim...

Ki Koisa...
Os números são importantes sim. Nada é por acaso.

Ora, o que a Mídia faz é o mesmo que todos os oposiocionistas fazem. Todo oposicionista quer diminuir as façanhas do governo. o que eu não entendo, é essa coisa de só por ser oposição ter que ficar na briga acirrada sem uma conta de chegar.
É verdade tem muita coisa de história que não vemos nos livros, mas tem muita coisa de história que leitores preconceituosos ( não estou dizendo que vocês são, não)nem quererem ler e aí ficam sem sabedoria para fazer as conexões devidas.

Eu tenho uma amiga que fez Mestrado em Ciências Políticas na Alemanha e a gente conversa numa boa. Ela não acha nada disso que vocês acham. Muito pelo contrário. Ela mesmo me disse muita coisa que se eu disser aqui o povo da academia vai me colocar para correr. Pode deixar que não falar não.

Fui bem?
Em que falhei desta vez?
Puxa! Você acham de mim cada coisa... Fico até sem graça.

Rosa Maria disse...

Um escândalo daqueles está para eclodir na política fluminense, culpa do embate entre Garotinho e Sérgio Cabral. Isso poque circula na redação de jornais cariocas um dossiê que trata diretamente de uma suposta fortuna amealhada pelo Mauro Silva. Fotos aéreas, casas imponentes, apartamento na Avenida Atlântica (tendo ele sido muito modesto até sua primeira incursão no poder), supostas cartas marcadas em licitações, etc. Não sou opositora, apenas uma pessoa bem informada. Cabral vem com chumbo grosso.

Anônimo disse...

Caros amigos do blog “outros campos”,
Sou leitora assídua do vcs, gosto de ler os textos e acompanhar os debates quando são bons. Envio abaixo um trecho do manual medieval escrito pelo padre Francesco di Torraca publicado pela universidade de Bologna (1234), ele nos ensina a identificar o diabo. Espero que vcs reflitam sobre isso.
Um abraço.
“O diabo quando quer agir, ele sabe como...é um mestre em destruir...atrapalhar e arruinar... com o rosto mais humilde possível. É dissimulado, nunca fala diretamente, nunca assume os seus interesses...sua tática é sempre lutar nas sombras. Sua vitória nunca é clara, não deixa o inimigo se ver como derrotado, essa é uma de suas artimanhas. Ele cria falsos fantasmas para distrair a ação do homem de bem, o homem luta contra esses falsos fantasmas e não emprega mais sua ação em construir, mas apenas em combater os falsos fantasmas.”

Roberto Torres disse...

Rosangela,


por favor, paremos com essa bobagem. Se para debater os temas postados aqui, fique, senao por favor nao. Assim voce gasta atoa o nosso tempo e também o seu.

Aqui ninguem vai discutir e nao quer discutir o "espiritual" da perspectiva do espiritual.

Para mim o "espiritual" interessa apenas enquanto uma semantica social. Se eu tiver algum interesse religioso, nao é aqui que busco realiza-lo. Aqui temos nossa fé no conhecimento laico, onde Deus nao tem lugar como conceito explicativo. Nao foi para isso que fizemos esse blog.

Ao invés de somente citar Rick Joyner - que possivelmente ninguem aqui vai ler porque temos outros interesses ou porque nao temos tempo -porque voce nao fala das idéias dele. Eu acho que a quantidade de linhas que voce escreve daria muito bem para vincular uma idéia dele, ou de qualquer outro autor que voce estiver lendo, com o debate. Nao adianta somente jogar o nome do autor. Veja que nós, os academicos, quase nunca citamos. Tem que fazer o esforco intelectual que apresentar as idéias. E só este tipo de consideracao que te pedimos aqui.

Nao acho que isso fira seu sentimento de integridade. Alias, na internet o que menos se pode mostrar é integridade. O que se faz aqui é a producao artificial de posicoes e lugares para o debate. Nao alimente expectativas exageradas quanto a NET. A integridade pessoal transparente é uma utopia face a face, quem dirá aqui.

Enfim, se de ao trabalho de formular idéias. Essa é a regra para que nós estejamos interessados em discutir com alguém.

Te peco entao: Se sua próxima postagem nao for concentrada em debater o que estiver sendo debatido, nao poste mais. Se quiser se dar a este trabalho o espaco é seu.

abraco