domingo, 1 de junho de 2008

Entrevista com Paulinho Caxinguelê




No mundo da política há vários tipos de personalidades, a despeito daqueles tipos que não merecem ser citados aqui, podemos dizer há homens que carregam profundas convicções, no entanto, há alguns outros que são carregados por elas. Sem dúvida, o nosso entrevistado de hoje, Paulo César Marques Pereira, pertence a esta terceira categoria. As convicções políticas bem alocadas no canto esquerdo do ringue na vida de Paulinho Caxinguelê, não são apenas uma escolha política, mas sim um reflexo de uma postura ante ao mundo. Fazem parte de uma personalidade progressista e desafiadora, na qual a política é mais uma faceta. Concordando ou não com suas idéias, somos obrigados a reconhecer que Caxinguelê sempre foi uma nota distoante na tradicional e conservadora Campos dos Goytacazes. Caxinguelê é mestre em Economia pela Universidade Cândido Mendes, e foi por muitos anos professor do Cefet, instituição a qual ocupou o centro de sua vida política como sindicalista. Foi também fundador do PT em Campos, hoje milita no PSTU e na CONLUTAS e é o atual coordenador geral do Sinasefe de Campos.




1. Como o Sr analisa o cenário político para as próximas eleições em Campos? Desde a polarização Arnaldo X Garotinho, como também a possível coligação PT e PSDB?
A polarização Arnaldo x Garotinho é o retrato de Campos, onde a população mais uma vez dirá: vou votar no candidato “menos ruim”. Sendo que os dois representam o atraso, a falcatrua, o desmonte dos serviços públicos essenciais ao desenvolvimento da cidade. Quanto a possível coligação PT x PSDB, é uma coligação que já nasce morta, pois em Campos, são partidos sem nenhuma inserção popular. São partidos que sempre tiveram sua votação no segmento da classe média. Além de serem partidos co-participantes do caos instalado na cidade, já que sempre participaram do governo municipal desde o advento de Garotinho.



2. O Sr como um dos fundadores do PT de Campos e por isso participou de grande parte de sua história, como avalia a postura “aliancista” que o PT teve em relação a muitos governos do grupo “Garotinho-Arnaldo”?
O PT que foi fundado para promover as mudanças sociais (não é bolsa-esmola), no meio do caminho descobriu que era mais fácil ser adesista e lutar por uma boquinha. Desde o advento de Garotinho, os dois grupos hoje do PT, sempre participaram do governo municipal sem nunca deixar sua marca. O racha entre os dois grupos do PT não é, e nunca foi ideológico, eles disputam apenas espaços para todo mundo na administração pública. Qual a bandeira que o PT de Campos defendeu até hoje? O que eles fizeram pela ética, o que era o mínimo possível a se fazer em Campos. Eles só ficaram esperando o resultado das pesquisas para ver quem era o favorito e, aí sim, se bandear para o candidato melhor colocado, ou melhor, como dizem os mais antigos: ficaram esperando o cavalo passar selado para pegar a montaria pronta.



3. O PSTU pretende lançar candidatura própria a Prefeitura? Caso não, o PSTU aceitaria participar de uma ampla coligação com PT e PSDB?
O PSTU não acredita na via eleitoral para a transformação social que o país precisa, e sim, por um governo socialista dos trabalhadores. Ao contrário do PT e PSDB que tem mais pontos comuns que diferenças, como por exemplo: continuam a ser o paraíso dos banqueiros como era na época do PSDB. Se antes existiam os corruptos do PSDB e PFL, agora há também os do PT, basta ver a farra do cartão corporativo, sem falar no mensalão. O que o PSTU defende é a reedição da frente de esquerda com PCB e PSOL. Como já disse, apesar de não acreditarmos na via eleitoral, é a chance que temos de mostrar nosso programa, nossa proposta de fato para transformação da sociedade por um governo socialista dos trabalhadores, e com isso explicitarmos nossas gritantes diferenças.



4. O seu partido, o PSTU, tem bandeiras muito voltadas para a política nacional e internacional, como luta contra o “imperialismo”, contra privatizações e etc. Para além dessas bandeiras de longo alcance e das denúncias contra a corrupção, que também é uma marca do PSTU, o que Campos poderia esperar de seu partido no que se refere um programa de governo? Quais seriam as principais medidas concretas a serem tomadas?
Em primeiro lugar faríamos uma auditoria nas contas da prefeitura para saber o tamanho do rombo. Criação de um plano quadrienal para ser debatido com a sociedade e verificar suas prioridades, pois não é possível se gastar trinta milhões em uma praça pública, enquanto hospitais e escolas funcionam de forma precária. Recuperar a dignidade dos servidores com a criação de um plano de cargos e salários. Compor as secretarias municipais com funcionários de carreira. Incentivo ao pequeno produtor rural e as micro-empresas para gerarem mão de obra e recursos ao erário (não podemos viver só de recursos dos royalties do petróleo que é finito). Garantir o funcionamento das aproximadamente duzentas escolas da rede municipal, e não somente das oito escolas-modelo que aparecem na propaganda oficial. Em síntese, seriam essas as principais medidas, sem abrir mão da austeridade com gastos públicos.


5. Inegavelmente com a função de um partido de vanguarda, o PSTU busca articular e sistematizar interesses de bases sociais em torno de um projeto de transformação social. Mas a crise da identidade política da classe trabalhadora abalou toda tentativa desse tipo, e põe como desafio reconstruir novas articulações em torno de uma base classista diferente. Como o Sr vê esse desafio em Campos? Como o PSTU pode deixar de ser um pequeno grupo de sindicalistas isolados para ser um partido de classe?
O desafio do PSTU não é só em Campos, é nacional. Temos como tarefa a criação de uma nova identidade para a classe trabalhadora, com o fortalecimento da CONLUTAS. Hoje está colocado para os trabalhadores a necessidade de uma nova organização pela esquerda, capaz de reagrupá-los para o enfrentamento com os patrões e o governo. Organizações construídas em um momento anterior, como a CUT, a UNE e o PT perderam sua independência, e transformaram-se em correia de transmissão do governo e obstáculos para a luta dos trabalhadores. Temos que investir na unidade dos movimentos operário, sindical, popular, camponês, sem-terra, estudantil e outros para o enfrentamento que teremos pela frente como: a diminuição e o congelamento dos preços dos alimentos, redução da jornada de trabalho sem redução dos salários e direitos, fim do fator previdenciário, fim do reuni, por um aumento geral do salário e pela nova reforma trabalhista e sindical.



37 comentários:

Anônimo disse...

Viva a revolução!

Xacal disse...

no bar ou no camburão...!

Roberto Torres disse...

pois é, não acreditamos mais na revolução. Mas será que conseguimos justificar no que ainda acreditamos? E será que conseguimos ser menos utopicos e tolos do que os revolucionários?

Fabrício Maciel disse...

Sou a favor de candidaturas independentes como seria a do Pstu, pois a escolha contraria a isso, no contexto que Caxinguele apresenta razoavelmente, e a composicao de frentes politicas sem ideias e que em nada contribuem para o questionamento e muito menos para a realidade local campista ou nacional brasileira. Candidaturas ditas radicais, de partidos com ideais de esqueda que na tabela pragmatica local nao tem a menor chance de chegar ao poder, pelo menos tentam lembrar que um outro mundo e possivel. Mesmo que critique seriamente alguns dos pressupostos do Pstu, por exemplo, nao posso deixar de admitir a funcao que tal candidatura significaria para a democracia, se nao pensarmos apenas nos caminhos mais rapidos para a solucao dos problemas politicos mais visiveis.

Anônimo disse...

Roberto Torres, tb tenho críticas ao PSTU, por hj estar a reboque so PSOL, e deixar um pouco seu programa revolucionário. Mas utopia não é acreditar nas eleições ? Que algo pode ser mudado nesse jogo de cartas marcadas não é utópico ? Caxinguelê pode ser considerado Radical, mas sempre foi fiel ao que acredita, sempre foi de luta e nunca quis boquinha, ao contrários de uns que hj se passam por oposição.

Bruno disse...

A intelligentsia é um ocaso sério...

Estou me sentindo na Inglaterra, século XVIII...

Ou um pulo em Berlim, 1961...

Lula, o Brasil e a conjuntura econômica internacional demonstram que, realmente, o caminho era a nacionalização dos bancos, a estatização das fábricas de cueca, calcinha, lençol e bolacha, a moratória e a luta contra o imperialismo Ianque! Americans, Go Home!

Afinal, quem bate cartão não vota em patrão...

Anônimo disse...

Boa Paulinho !!!

"me enterrem com os trotskistas
na cova comum dos idealistas
onde jazem aqueles
que o poder não corrompeu

me enterrem com meu coração
na beira do rio
onde o joelho ferido tocou a pedra da paixão "
Paulo Leminsky

Anônimo disse...

Meu caro professor Paulinho Caxinguelê, é muito bom refrescar algumas idéias e relembrar dos tempos em que se lutava por idéias e ideais e não somente pela "fatia" de cada um.
um abraço!
lsmota.

Xacal disse...

candidaturas revolucionárias...
daqui a pouco vão estar com quércia como o MR-8 na década de 80...

afinal, para realizar o salto revolucionário é necessária a extrapolação das contradições capitalistas, ou seja, quanto mais direita mais próximo do fim...

só posso entender a entrevista com o paulihno como uma distensão lúdica nesse universo tenso da política em campos dos g..

roberto, meu caro, há eneorme distância entre utopia e delírio...

utopia para mim é construir um processo onde o papel fim do estado prevaleça, ou seja , o bem estar de um número maior de pessoas possível...

botar comida na mesa de um núemro maior de pessaos, que possam estudar e escolher seus caminhos, e não serem tangidos como boi de manobra...

confesso que essa utopia já me é bastante...

agora assalto ao palácio de inverno só com LSD...

Xacal disse...

obs: entrevista com o grilo falante do pinóquio...

consciência crítica é isso aí...

Roberto Torres disse...

Eu sou a favor de bota comida na mesa da população pobre, de que eles possam estudar. E acho que, como utopia, isso nao e pouca coisa nao. Realizar aqui no Brasil o estado de bem estar é algo ainda mais distante disso. Mas acreditar que a autonomia politica pode derivar diretamente disso é delírio. Precisamos saber que a privação material traz mutilações simbólicas que comprometem a autonomia politica de uma forma muito mais perene do que imaginamos.

E concordo plenamente com o anonimo de que acreditar em eleições hoje o grande auto-engano de uma geração de nao sabe mais fazer politica com idéias, sem que as idéias nao representem a possibilidade de voto.

Xacal disse...

bom roberto,

pode ser que as mutilações perenes decorrentes sejam irreversíveis, fiquem como cicatrizes, mas não sejam insuperáveis, senão como explicar a indicação de barak obama como candidato democrata...

e a própria eleição do lula...?

será que foi tudo um acerto conservador para "enganar" a patuléia...?

naõ existe nada de avanço genuíno nessas etapas...?

a "libertação" política que está além desses limites já foi tentada pelo partido bolchevique e pela revolução cultural de mao, e convenhamos, os resultados não são animadores...

creio que o dilema que vc e anônimo propõem é faslo, e verdadeiramente conservador...

separar idéias e ideais da prática política cotidiana, como se houvesse uma instância esterelizada ao alcance apenas de poucos iluminados é atender os anseios da burguesia em frear os avanços das classes populares, mesmo que esses se dêem de forma lenta, com fluxos e refluxos...

Anônimo disse...

"O medo dá origem ao mal
O homem coletivo sente a necessidade de lutar
o orgulho, a arrogância, a glória
Enche a imaginação de domínio
São demônios, os que destroem o poder bravio da humanidade"

Chico science

Anônimo disse...

XAcal nao conhecia seu blog e fui conhece-lo aqui.
MAs vc é favorável ou contra a aliança coM PSDB ?
VC critica Feijó, criticou FHC e Ségio Diniz. O pq dessa aliança ?
Qto ao fracasso do BVolchevismo como vc fala, a revolução foi vitoriosa, infelizmente um filho da puta como Stalin, burocratizou o processo revolucionário e com a Morte de Lenin, TRotsky ficou isolado e perseguido, mas mesmo assim em 1917 a URSS tinha 90 % de analfabetos e na segubda guerra já era potencia mundial.
A revolução russa foi vitoriosa, infelimente a burocracia, tratou de frea-la, assim como em Cuba.
Creio que conservador é estar atrás de uma aliança com o PSDB-elite-Folha da Manhã, vide Eduardo Azeredo (mensalão) em MG, Feijó ( ambulâncias) aqui.
Nós revolucionários preferimos morrer de pé que a passar a vida de joelhos.
Mas ninguem pode falar a revolução será feita, ela se insurge naturalmente.
" todas as revoluções são impossíveis, até que se torne inevitável"
Trotsky

Xacal disse...

"viva zapata, viva sandino, antonio conselheiro, todos os panteras negras, lampião sua imagem e semelhança. eu tenho certeza, eles tb dançaram um dia"...

como deleite estético o manguebeat é uma maravilha...

pena que a realidade não obedeça a métrica das rimas, e insista em apresentar problemas que estão além da nossa capacidade de resolvê-los...

Xacal disse...

caro anônimo ingênuo...

a revolução é como fósforo, tem combustão espontânea em contato com oxigênio...?

o fato de apresentar as contradições dos adversários não impede que mantenha interlocução e alianças com os mesmos...

se é para juntar com iguais, não precisa discussão...

reduzir o fracasso da revolução bolchevista a uma questão personalista da luta entre stálin e trotsky só pode ser total desconhecimento da história, da hsitoriografia e dos movimentos sócio-políticos...ou má-fé...

nem na Albânia o pessoal pensava assim...

tudo bem, vamos tentar uma aliança com o psol da heloisa "sandra cavalcanti" helena, com o pco do zé maria e o pstu do ciro garcia, quem sabe possamos impalntar uma nova comuna de paris por aqui...?

eu quero ser secretário-geral do politburo, pelo menos me garante bons vinhos, e carro com motorista...

roberto, tens razão...é urgente resgatar a capacidade de discutir política além das eleições...

olha o estrago que a falta de discussão faz com a cabeça dessa rapazeada...

será qe já voltaram da III internacional...?

Anônimo disse...

PCO nao ta na aliança é nem é do Zé maria, precisa se informar...
III internacional era do Stálin, precisa se informar.....
Nao disse que a revolução fracassou por briguinhas Stalin e trOTSKY, MAS PELA BUROCRATIZAÇÃO DO STALINISMO, que sujou a imagem do socialismo em todo mundo.

Muitos falam que o socialismo fracassou , utopia e etc. onde o capitalismo deu certo, vc poderia me informar ? Vivemos numa sociedadde com 6 bilhões de pessoas onde 4 bi vivem na linha da pobreza, há guerras pro todo lado, grande parte da população africana é portadora do HIV e a burguesia segue tendo lucros inimaginaveis, isso que tem q ser mudado. Essa discussão que tem q ser feita, que a distribuição d erenda tem q ser feita dos que tem para os que não tem e não dos que quase nao tem, para os que nao tem.
Grande parte do nosso PIB vai para o pagamento de juros da dívida interna e externa, que ja passou de 1 trilhão e o trabalhador ganha 415 reais, enquanto o dieese diz que tem ser 1915 reais. Ha dinheiro para o mensalão, para o superávit, para os bancos mas para o trabalhador nao há. Ha reforma agrária não é feita, reservam vagas na Universidade mas a educação de base continua precária. Utopia é acreditarmos que estamos progredindo.

Anônimo disse...

tem todo direito de discordar,isso é democracia e o debate é salutar mas acredito no socialismo e morrerei defendendo.
Pra mim o lema Socialismo ou barbarie diz tudo.

Xacal disse...

então vamos para o debate sério, ó revolucionário...

A questão da burcratização não é o cerne do fracasso do "socialismo real"...

o modelo de vanguarda estabelicido pelos bolcheviques, que aliás contrariava todas as possibilidades de vitória de uma revolução socilaista em um país semi-feudal, trazia na sua gênese o germe da burocratização...

se não fosse com stálin, seria com qualquer outro, a não ser que vossa revolucionária excelência vá contrariar a tese do materialismo histórico tão cara ao bolcheviques...

os problemas econômicos enfrentados pela revolução estavam claros...era preciso industralizar um país agrário...um contrasenso para a tese da superação dialética do capitalismo através da luta de classes, que lhe deveria ser intrínseca...

embora incialmente bem sucedida pela interevnção do estado na economia, o modelo se esgotou após anos de manutenção artificial do indicadores econômicos, o que emperrou o sistema produtivo e gerou escassez e fome...

essa discussão é extensa, e não creio ser esse o espaço adequado, mas creia-me apenas meia dúzia de slogans e palvaras de ordem não esgotarão discussões profundas sobre economia política...

boa sorte, apanhe um fuzil e vá treinar guerrilha...

aliás, podes começar a combater o capitalismo impaerialista como voluntário nas tropas xiitas no iraque, ou com os talebans no afeganistão...

de minha parte eu me alistei nas brigadas solidárias para colher café durante a revolução sandinista...

falar de revolução é fácil...

se as teses são tão caras e oportunas porque ainda não inflamaram o povo...será que falta uma boa vanguarda que guie e ilumine os caminhos do proletariado...?

santa mãe...santa revolução, batman, santa ingeuidade...!

Bruno disse...

Partindo da premissa do anônimo o Socialismo nunca existiu, continuará sendo essa coisa intangível, cuja existência fática depende do inexpugnável, esbarrando sempre nas vicissitudes humanas. É coisa divina, mesmo. Foi feita pros Deuses.

Milhares de anos da existência humana terrestre, sendo os oprimidos maioria no planeta, e nada de revolução; um fracasso anunciado de uma humanidade que sempre esteve única e exclusivamente preocupada com seus haveres, independente de classes sociais.

Então – voltando ao assunto - partindo dessa premissa, a única coisa que existiu na história humana pós mercantilismo foi o Capitalismo, ao que me parece, não sei, mas acho que nós trabalhadores - sim, nós, embora sob auspícios socialista os trabalhadores ganhem conotação alheia, sobrenatural - não vivemos nas mesmas condições que os operários do século XVIII no furor da revolução industrial movida à carne humana.

A média de vida também vem aumentando.

Islândia, Finlândia, Suécia, Noruega, Austrália, Suíça possibilitam aos seus habitantes os melhores índices de qualidade de vida e dignidade humana do mundo.

Dizer que a humanidade não progrediu é caso de internação. O HIV da África, então, só mesmo Fumarato de Quetiapina.

A condenação ao lucro, que faz o anônimo, também me permite perguntar: findado esse, como distribuir a renda dos que tem aos que não tem?


Posso jogar a conta do bônus nas costas do Capitalismo, ou alguém está disposto a reconhecer que a discussão ao longo dos anos moldou e molda, tornou e torna esse sistema mais humano, agregador e contributivo para as sociedades?

Daqui a pouco, para enriquecer o debate, chamarei meu amigo Igor, carola e libertário e, segundo suas próprias palavras, “adora chutar uma bunda socialista”.

Uma passagem interessante do Igor é que ele organizou um grupo de vaia ao Lula quando ele esteve aqui, tirou fotos e cobriu o movimento, enviou para o Reinaldo Azevedo, que publicou no blog. Ao lado do Igor, endossou o movimento e deu substância às vaias o Prof. Caxinguelê.

Das guerras das guerrilhas sobram corpos e armamento pro "inimigo".

Agora rezemos pelos amigos cubanos; só este ano, 2008, tiveram acesso às suas próprias praias, as mais belas do mundo, e que até ontem era um privilégio restrito a nós: capitalistas selvagens.

Ganharam, também esse ano, o direito de acesso à internet, mas, de tão restrito, não poderão participar conosco dessa discussão.

O debate é bom, afinal, vivemos numa democracia, mas, pelo visto, democracia boa é a nossa, que podemos usar, usufruir, opinar e debater sem sermos tachados de contra-revolucionários e pararmos no paredão ou no DOPS; os outros, coitados, são outros, que fiquem vivos tão somente para venerarmos. Não podem falar, discordar, se mudar, votar ir a praia ou freqüentar um hotel (podem, mas pros de casa custa mais que o salário mínimo) mas não são analfabetos, tem leite e tem pão.

Viva a revolução!

Anônimo disse...

MEUS DEUS !!!!!!!

"se as teses são tão caras e oportunas porque ainda não inflamaram o povo...será que falta uma boa vanguarda que guie e ilumine os caminhos do proletariado...?"

Sim camarada, existe a crise da direção do proletariado.

"essa discussão é extensa, e não creio ser esse o espaço adequado, mas creia-me apenas meia dúzia de slogans e palvaras de ordem não esgotarão discussões profundas sobre economia política..."

concordo camarada aqui não é o espaço .




"Islândia, Finlândia, Suécia, Noruega, Austrália, Suíça possibilitam aos seus habitantes os melhores índices de qualidade de vida e dignidade humana do mundo."

" condenação ao lucro, que faz o anônimo, também me permite perguntar: findado esse, como distribuir a renda dos que tem aos que não tem?"


"Posso jogar a conta do bônus nas costas do Capitalismo, ou alguém está disposto a reconhecer que a discussão ao longo dos anos moldou e molda, tornou e torna esse sistema mais humano, agregador e contributivo para as sociedades?"

nao reponderei a isso, me desculpem, pois se trata de revanchismo típico de criança e completamente boçal( me desculpem o termo)

Feliz aliança PT-PSDB


"santa mãe...santa revolução, batman, santa ingeuidade...!"

vc me convenceu, a partir de agora não serei mais ingênuo. Jogarei o MARXISMO no lixo e ficarei refém das obras do Xacal e Munrah.
abaixo o socialismo heheheheheheh

Anônimo disse...

Estou aqui ao longe apenas observando a discussão.

Não queria dilacerar o ingênuo e pueril anônimo já que Xacal e Bruno \"dão pro gasto\"...

Mas essa última postagem merece minha intromissão.

1. Anônimo, para começo de conversa você nunca leu o Capital. Na verdade, suspeito que você leia algo, pois argumenta sofrivelmente.

2. A crise de direção do proletariado é muito boa. Anos e anos em meu labor de caça aos comunistas eu nunca vi tamanha estupidez. Muito boa, me garantiu muitas gargalhadas.

3. \"Desculpem, não vou responder\". Tá desculpado, camarada, não há mesmo o que responder, não há resposta, melhor calar a aumentar o número de asneiras proferidas por vossa excrecência.

4. Estude, tolinho, estude. Seu problema não parece ser má fé, apenas ignorância e burrice.

Anônimo disse...

quem diz da crise da direção do proletariado foi TRotsky nao foi eu quem falou.
" a crise da humnanidade é crise da direção do proletariado"
Quanto a sua risada é prova de sua ignorancia
Quanto ao Capital, ja li sim, como vários outros livros de TRotsky e Marx e Lenin.
Acho que vc quis me provocar, mas nao colou não tente outra.

Anônimo disse...

estão muito preocupados com os ingenuos utópicos.
uhauhauhahuahuahuahuhau

Anônimo disse...

" A crise de direção do proletariado é muito boa. Anos e anos em meu labor de caça aos comunistas eu nunca vi tamanha estupidez. Muito boa, me garantiu muitas gargalhadas"

isso prova que vc que precisa de leitura

Anônimo disse...

Luta de Classes de Marx é uma boa obra para vc começar a ler.

Anônimo disse...

Serei breve, assim como minha capacidade de compreende-los, fora os elegantes elogios de parte a parte, poderiam os defensores me explicar como é que funciona essa "crise da direção do proletariado"?

O espaço é curto, eu sei. Mas eu tenho boa vontade em ler o que vcs pensam. Eu até tentei ler seus gurus, mas não tive competência para entende-los. E digo que tentei diversas vezes.

Eu como também sou proletariado gostaria de saber com é que vcs gostariam de me dirigir. Como seria essa direção ideal? Confesso que tenho um pouco de receios, pois todas as minhas vontades são ditas como falsas, que sou apenas um alienado, etc. Aliás, eu teria vontades no sistema que vcs propoem ou as únicas vontades legítimas seriam as de vcs? Quais seriam as vontades permitidas?

Sempre trabalhei duro e, no fim do mês, tem lá a minha contribuição para o sindicato (hoje dirigido pelo PSTU). Como vcs, eu também acredito que há sim uma crise na direção do proletariado. Afinal, eu e meus colegas trabalhamos todos os dias e contribuimos, o que nos faz ser o motor, mas quem está dirigindo sempre diz que somos nós os alienados, entretanto, nunca dizem para onde estão nos guiando.

rufus disse...

Belo debate. Pura teoria. Independente do que se pense sobre o papel eleitoral do PSTU, em Campos essa discussão não faz o menor sentido. Não se trata de desqualificar o "bravo e combativo" partido. É que em Campos os legítimos representantes da revolução e de Trotsky - há controvérsias sobre sua interpretação do autor do "Programa de Transição! - não tem como cumprir nenhum papel eleitoral tático nem estratégico. Explico, é que eles estão há mais de cinco anos falando em nome do Partido mas não organizaram a Comissão Provisória. É isso mesmo. Assim como o PSol, o PSTU não existe no plano municipal. Não se trata de não ter base social - o que ocorre em todo o Brasil. Aqui eles literalmente não existem, inclusive do ponto de vista institucional. Daí ser impossível ir além do discurso sobre as necessárias "transformações sociais no plano nacional"!

Anônimo disse...

Rufus nao sei se o diretório está formado ou não, nem considero o PSTU o partido perfeito, mas vejo que ha nele bons quadrose um programa, e que se ainda não houve a criação do diretório, eles perderam uma boa oportunidade.
Quanto a direção ideal do camarada acima, creio não ser possível explicita-las aqui, mas todas as vontades seriam permitidas é claro, o direito de ir e vir e muitas outras coisas, se é isso que entendi. Quanto a melhor forma de entender as ideias socialistas, na minha opinião só militando em um partido. Procure um partido no qual as ideias sejam próximas as suas e inicie a discussão interna e depois fora do partido. Acho q é a melhor forma.
Peço desculpas se não posso explicita-las aqui, mas o espaço é curto infelizmente, mas oportunidade não faltarão para ampliarmos o debate.
As diferenças aqui são de idéias e repito que isso é salutar para a democracia e para o progresso. Jamais as diferenças aqui expostas irão para o lado pessoal.
Se me exaltei em algumas respostas e fui sarcástico em outras peço desculpas com sinceridade.
Abraço a todos

Anônimo disse...

Onde ocorre Rufus? O PSTU e o PSOL tem base social onde? Como podemos definir essa base? Não tem nem meio percentual de votos! O PSOL ainda segurou-se, nessa última eleição, no capital politico do PT. Foram as figuras de HH no plano nacional e Chico Alencar no Rio, no mais, foi pro espaço.

Falar que eleições são ilusões quando não se tem voto é fácil. Quero ver resolver essa porra de crise de direção do proletariado.

Assumam a incompetencia de vcs em organizar a sociedade. Até um pastor analfabeto consegue reunir mais gente do que vcs. Sejam sinceros, vcs nunca gostaram de trabalhar, de organizar as bases, sempre foram preguiçosos.
Porque não estenderam a capilaridade para as favelas urbanas? Porque não trataram de organizar as massas? Vcs são INCOMPENTENTES, MEDIOCRES E PREGUIÇOSOS!!!!!! Incompetentes na organização, mediocres intelectualmente e preguiçosos por natureza. São comodista que vivem se justificando na alienação dos outros. Alienados são vcs que não compreenderam não queremos ser enganados, que temos vontades que não são a de vcs. Parecem crianças que quando perdem o jogo querem levar a bola para casa. Só que a bola não lhes pertence.
Nunca deixaram a sala de estar para organizar uma campanha séria, isso dá trabalho. O que lhes resta é culpar o proletariado, sempre "alienado pelos demonios representantes do grande capital". Não conseguem convencer nem as próprias mães.


Se é para fazer a revolução, que ao menos trabalhem para isso. Muito bonito falar em utopia fumando um cigarrinho do capeta e enchendo a cara no botiquim. Quero ver ir para as ruas e convencer. Debater com maturidade dá trabalho.

Vcs acreditam que eleições são ilusões porque nunca ganharam uma. Democracia nunca será bem vinda por vcs, porque não sabem ouvir o outro. Aliás, não conseguem nem mesmo conviver entre vcs. Não se respeitam, querem a todo momento provar que são mais revolucionarios que o outro. No fundo são egocentristas piores que os banqueiros que tantos demonizam.

Vcs nunca combateram a ditadura, os que estavam lá (poucos que ainda permanecem com vcs hoje) combateram os ditadores. Mas apenas queriam o lugar deles. Nunca lutaram pela democracia.

Anônimo disse...

Lamentável o q era pra ser um debate de idéias chegue a esse nível.
Xacal, Roberto Torres, Fabricio Maciel e Bruno quiseram debater ideias. Apesar de estarmos com diferenças, o debate nao estava baixo.
Infelizmente tem um anonimo que quer ofender, caluniar e fugir do debate do debate e ir para o lado pessoal.

Xacal disse...

é igor, vc vai bem, mas quando começa a espumar...

Igor disse...

Igor?

Você tá maluco, Xacal?

Por acaso acha que eu algum dia discutiria sem mostrar minha identidade? TODOS os meus posts nesse blog são identificados. TODOS.

Não sei com quem você está discutindo, mas te afirmo que não é e nunca foi, nesse tópico, comigo.

rufus disse...

Olha, ou o cara tá doidão ou costuma babar!
Eu afirmei apenas que o PSTU - assim como o PSol - NÃO TEM BASE SOCIAL!! Não apenas em Campos, bem como no resto do país. Bem claro??
Agora, apesar de crítico contundente dos dois partidos, não coaduno com as insanidades e ataques baixos desferidos pelo "anônimo" cachoro louco.
Penso simplesmente que, se querem ao menos marcar posição - como fazem com legitimidade em várias cidades do país, apesar de realmente se ressentirem de respaldo popular - deveriam cuidar de aspectos institucionais. Senão, é apenas papo furado. Pouco importa se no boteco, neste blog ou em qualquer lugar. Não cabe tratar da vida privada, competência e aptidão para o labor de ninguém! Deixo isso pro eleitor.
E quanto ao "vcs": vá pro inferno!
Rufus é apartidário, amoral, avesso a convenções... mas adora botecos.

Maycon Bezerra de Almeida disse...

Não havia lido ainda a entrevista do Caxinguelê, que conheço apenas por menções indiretas. Gostei da entrevista e gostaria de parabenizar a equipe do blog pelo exercício democrático de ceder espaço às diferentes tendências políticas que se colocam em uma situação de oposição à briga de facções que domina o cenário político de Campos. Eu, como impenitentente marxista que sou, filio-me ao campo da oposição de esquerda ao governo Lula o que me coloca bem próximo das idéias do entrevistado. Constato com tristeza que personalidades tão dignas e aguerridas, para defender o governo Lula, acabem por assumir a linha de frente da luta teórica e política contra o horizonte de referências (socialismo) que abraçaram em um passado relativamente recente. Um abraço a todos!

Xacal disse...

foi só prá vc se mostrar, eu sabi que vc tava de olho...hehehe,

um abraço...

maycon, o post sobre os neonazistas é uma boa resposta para vcs...não é à toa que prosperam logo onde havia uma experiência de socialismo real, ou para outros, capitalismo de estado...

Maycon Bezerra de Almeida disse...

Hahahahaha, valeu Xacal, então você conseguiu, eu me mostrei. Um abraço!