quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Sobre a CPI do MST
por Roberto Torres

A instalacao de uma CPI para investigar repasses de verbas do governo a entidades ligadas ao MST e um insulto a democracia, um gesto truculento que conta com o apoio dos inimigos de sempre dos pobres: a midia golpista, os partidos de direita (DEM e PSDB) e a alianca de classe que da vazao ao desejo ruralista, que no fundo e de exterminar fisicamente estes pobres, que ao inves de estarem lambendo os pes dos seus "donos", decidem se organizar autonomamente para defender os proprios interesses. Nem mesmo Bresser Pereira aceitou engolir calado este absurdo e declarou de modo muito preciso que o MST e a unica organizacao que defende os interesses dos pobres neste pais. De fato a Historia parece mostrar que no Brasil foi o MST a experiencia exemplar que consegui ultrapassar os limites do sindicato de fabrica como forma de organizacao popular na politica. E justamente esta exemplaridade anima o odio de classe de gente como Ronaldo Caiado, Katia Abreu e sua turma. Querem liquidar o MST porque so gostam do povo quando este sabe obedecer. Querem matar o MST do mesmo modo que FH achou estar matando Lula em 2006 ("Lula esta morto", dizia ele em comicio no inicio de campanha). Em tempos de revolucao esta gente inauguraria a guilhotina....Quem ainda acha que luta de classes e coisa do passado, por so conseguir ver a classe quando ela se organiza e aparece na rua dizendo "somos uma classe", nao deveria mais duvidar. Mas cegueira cognitiva sempre resulta da identificacao afetiva com os dominantes.
O MST, em toda sua historia, mais do que o movimento operario brasileiro, tem mostrado como a luta de classes e uma luta pela vida, pois a luta pela dignidade no campo sempre encontrou como tarefa imediata a de ter que defender a vida enquanto tal, seja da fome, seja das emboscadas dos fazendeiros. Eu tenho varias criticas a hegemonia intelectual do MST, mas a simples existencia do MST e um fato que os que acreditam na democracia e na mudanca social devem louvar a cada dia no Brasil. Como essa gente humilhada e desacreditada todos os dias consegue encontrar forcar para lutar por um futuro coletivo e construir solidariedade entre si nao e nada obvio, mas um fenomeno altamente improvavel. Nao depende da ajuda do governo para existir, nem do PT, nem de ONG. Mas qual o argumento que se pode usar contra o governo decidir estimular, com dinheiro, a organzacao politica dos pobres a nao ser um argumento politico contra os pobres?
E preciso que todos os partidos de esquerda enfrentem esta luta e mostrem solidariedade politica ao MST. A popularidade do Presidente Lula nao pode ficar pendurada na parede, ou ser usada apenas na campanha eleitoral. Espero que, sendo necessario, ele a use em favor do seu povo.

18 comentários:

Anônimo disse...

Nossa!!!Que texto louco e sem noção!!! É até engraçado ver expressões (mídia golpista, luta de classe) tão fortes... mas tão vazias e anacrônicas...

A diferença que é esse modelo que vcs atacam (neoliberal, ou outro nome qualquer que vcs inventam) que dão direito à sua expressão. Isso é democracia.... bem diferente do regime comunista: totalitário, centralizador, mentiroso e falido.

Anônimo disse...

Quanto ao anônimo acima, o texto do Roberto é profético, pq antecipa a reação de seus críticos. Ele escreve: “Mas cegueira cognitiva sempre resulta da identificacao afetiva com os dominantes.”
Taí duas manifestações humanas que sempre tenho dificuldade em distinguir: Burrice e má fé. Elas sempre se escondem uma na outra.
Abraços galera.

Roberto Torres disse...

Anonimo, o que voce chama de louco e um uso de liberdade de expressao. E voce, como usa esta "dadiva"? Louvando os senhores a quem voce atribui o "reino da liberdade"? Eu estava na hora embuido de muita raiva da alianca sacana entre midia e oposicao conservadora, como ainda estou....
Ninguem aqui defende regime comunista. Pare de atacar cachorro morto. Defendo a democracia, e liberdade de expressao politica significa defender a organizacao politica dos pobres.

Nao ha midia golpista no Brasil, nao ha luta de classes?

Se voce acha tudo isso "anacronimo", e porque e um colonizado feliz que aceita a agenda do dia desde que ela lustre os proprios privilegios.
Teve um tempo que eu ate achava que nao havia classe media escrota no Brasil. Depois que eu comecei a debater na internet vi que nao e nada disso. E os exemplos brotam, como voce.

Brand Arenari disse...

Caro anônimo1,
Com todo respeito a sua opinião, imagino ser ela a qual está imersa é um anacronismo. Vc interpreta o texto do Roberto erroneamente, com os olhos do debate das décadas de 60 e 70. Assim não é o texto que é anacrônico, mas sim o seu olhar.
Em nenhum momento foi citado no texto a disputa entre comunismo e liberalismo como modelos de estado. A queda do muro de Berlim decretou a morte daquele velho modelo de comunismo de estado, assim como a última crise mundial enterrou os sonhos de um estado liberal radical.
Classe social não é aquela que vc imagina (proletários X burguesia), essa que era falada há 20 anos atrás. Essa (proletários X burguesia) foi apenas uma corporificacao da luta de classes, não podemos confundi-la com a essência da luta de classes. A sociedade se transformou e a luta de classes também, por isso é preciso esforço e criatividade para compreendê-la. Sugiro a leitura de sociólogos contemporâneos como Pierre Bourdieu, Klaus Eder, Jessé Souza entre outros para que vc não fique anacrônico.

E sobre a “mídia golpista” é golpista mesmo, e eu desafio a vc provar o contrário, e que isso seja uma fala vazia.

A respeito da defesa livre da expressão, gostaria de dizer que no Brasil foi a ditadura militar a qual portava os valores conservadores que vc se mostra simpático, a única a cercear de forma dura os direitos de expressão. Vc deveria analisar melhor o cenário brasileiro, no Brasil é a esquerda a defensora da livre expressão.
A Kirchner na Argentina e o Obama nos EUA já declararam guerra a essa imprensa golpista, mas o nosso Lula tem tolerado essa corja.

George Gomes Coutinho disse...

Só duas ilustrações sobre a mídia golpista:

a) Em 1964 todos os grandes jornais apoiaram o golpe de Estado no Brasil. Mas, de fato, isso foi há mais de 40 anos...

b) No caso Honduras grande parte da mídia apoiou num primeiro momento alegando conexões Tegucigalpa - Caracas. Isso foi há poucos meses, a despeito de reconhecerem que houve um rito democrático (eleições regulares) que permitiram Zelaya ir até o final do mandato..

Quanto à luta de classes meus amigos foram suficientemente claros no enfrentamento do que você afirma. Recomendo a leitura indicada. Ela é sempre útil, ao menos, se não tiver um sentido prático-utilitário de curto prazo, que nos torne um pouco menos ignorantes....

George Gomes Coutinho disse...

oopsss.. Leia-se "quer permitiriam Zelaya.."

observadoria@uol.com.br disse...

Pelo teor e modo de construção verifica-se que o artigo de Roberto não tem a necessária neutralidade cientifica. É ideológico. E apaixonado. Defender um movimento que age em forma de guerrilha, mata, invade, quebra dependencias da Camara dos Deputados, é no minimo ignorancia destes fatos. Estranho que a UENF produza estes cientistas que pensam ideologicamente. Não me surpreende que o CCH não desempenhe liderança em Campos dos Goytacazes. Me espanta tambem que "intelectuais" estejam engajados em luta fratricida, pois é a isto a que conduz o MST. Será que a bolsa de doutorando que o beneficiou exigiu este comportamento como forma de pagamento. Eu conheci um Roberto mais pacífico e menos enganjado. Talvez esta ideologia reflita a forma como a UENF seleciona/exclui alunos ideologicamente mais a direita, apesar de ser uma instituicao de ensino, financiada por dinheiro publico, de todos,sem colorido ideológico. Como campista, sinto vergonha de ver outro campista, doutorando, empenhando seu prestigio para escrever artigos sem fundamentaçao em fatos reais.

George Gomes Coutinho disse...

Ressentimento por reprovação em concursos do mestrado do CCH....

George Gomes Coutinho disse...

E é "engajado" e não "enganjado"

Roberto Torres disse...

Meu caro "observador anonimo", netralidade cientifica e um mito quando se refere ao tema sobre que se fala, mesmo que tenha sentido quando ao que se conclui sobre o tema escolhido. Ou seja, a paixao, a ideologia a escolha politica pode e deve ter influencia sobre o que estudamos escrevemos etc. Minha opocao pelo MST e clara, e dai? Refute cientificamente algum argumento que eu usei para caracterizar o MST como organizacao politica dos pobres, a midia como golpista. Nao vale usar a pesquisa do IBOPE sobre os assentamentos, ta? Nem a ONU leva a serio. Ou a ONU tambem e a favor de guerrilhas, nao e isenta, bla, bla, bla.....

Minha bolsa nao e de nenhum organismo brasileiro. A nao ser que as universidades alemas tambem sejam a favor de guerrilhas, e nao sejam isentas, bla, bla, bla.

O Roberto pacifico que voce conheceu era lobo na pelo de cordeiro. hahah agora fudeu !

Sobre a sua frutracao com o CCH, e um caso a se pensar. Eu posso te garantir que se voce fosse um direitista bem formado encontrava um vaga. Mas voce nao deve se esquecer que a UENF possui sim um "colorido ideologico". Darcyzao ta la incorporado meu caro!!! Sobre sua vergonha, eu sinto muito..um funcionario publico bem sucedido como voce tem realmente uma boa reputacoa a zelar.

Roberto Torres disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fabrício Maciel disse...

mais uma vez Roberto nos brinda com uma intervenção política e embasada em forte conhecimento intelectual. O intelectual de verdade deixa transparecer seu posicionamento sem se restringir a mera ideologia, articulando conhecimentos históricos sem a inocência, ou pseudo, na maioria dos casos, de que a ciência é neutra. E aqui não estamos batendo em cachorros mortos que atacam nossa ciência crítica tentando restringi-la a ideologia, mas sim atacamos toda a ideologia dominante, (reproduzida por boa parte da ciência igualmente dominante), de classes, intelectuais e todo tipo de idiota mal informado ou sinicamente informado que tenta ignorar a estrutura de classe brasileira, sobre a qual roberto disserta neste texto.

Roberto Torres disse...

Entao o fato real e que o MST mata? Proposta do Brand: que se abra uma CPI para ver que mata quem no campo.
Nem freira perdoaram. Ideologia, como disse o Fabricio, e se apoiar nos fatos criados pela midia. A midia nao se apoia em ciencia para construir a visao sobre a vida social no Brasil. Logo nao ha como fazer qualquer ciencia social sem atacar os fatos da midia.

George Gomes Coutinho disse...

Manifesto em defesa do MST como um legítimo movimento social e importante no alargamento normativo da nossa esfera pública:


http://www.petitiononline.com/boit1995/petition.html

Anônimo disse...

Veja abaixo que o MST é um movimento de coitadinhos, sem terra e sem conexão internacional, sem apoio logístico, verdadeiramente uns inocentes que merecem apoio de sociólogos comprometidos com a causa:
*Procurador Gilberto Thums disse ao jornal Zero Hora: “O MST contrata os professores que tenham alinhamento ideológico para ensinar teorias marxistas unilaterais. O Estado não tem nenhum controle sobre o conteúdo programático, então essas escolas fazem uma lavagem cerebral para passar teorias marxistas. Os estudantes recebem uma educação alienante”.
*“O MST encaminhou duas denúncias à ONU contra o que consideram uma campanha de criminalização do MST pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul. Protocolados, os documentos também desqualificam o processo de ordem política contra oito integrantes do movimento com base na Lei de Segurança Nacional (LSN). Os acusados devem ser ouvidos pela Justiça Federal.” http://www.reporterbrasil.org.br/exibe.php?id=1393
*“O MST vai se perpetuar, não terá fim. Por isso é
um movimento político e não mais Social".
*“Ativistas do MST e estudantes do DCE impedem palestra do procurador do MP Gilberto Thums na UCS”
*Criado em 1984, o MST já promoveu mais de 7.500 invasões, acompanhados de crimes violentíssimos como seqüestro e cárcere privado.
*A idéia do Ministério Público do Rio Grande do Sul é chegar ao ponto de proibir qualquer órgão do Estado de negociar contratos e convênios, com o movimento. “Cabe ao Ministério Público agir agora. Quebrar a espinha dorsal do MST”, diz um dos trechos do relatório.
Por esta e por outras, os sociólogos são bastante prestigiados. Vejam no blog do Aguinaldo Silva: “A tese desses sociólogos é a seguinte: deixem os traficantes venderem livremente seus bagulhos, que assim eles não nos enchem o saco. Ou, radicalizando: tirem a polícia das ruas! Ou, radicalizando mais ainda: acabem com a polícia, entreguem de uma vez por todas a cidade aos bandidos! Ao ouvir sandices como essas até eu, um pacifista nato, sinto vontade de sacar uma arma e sair atirando. Estes são profissionais do ramo abrigados na Uerj, PUC, UFRJ e adjacências”.

Xacal disse...

que tipo de lixo é esse...?

esses caras devem se masturbar com a foto de Hitler...

esse tipo de gente existe mesmo...?

Roberto Torres disse...

Eu acho que essa gente ta cada mais centrada nisso. O odio de classe ta virando o unico motor da direita, na falta de projeto e de algo que possa lhe conferir identidade.

George Gomes Coutinho disse...

É para ficar estarrecido diante da quantidade de elementos postados pelo anônimo de 24 de Outubro de 2009 05:18

Interessante que tenha feito recortes justamente sobre a questão agrária no Rio Grande do Sul. Certamente deve ter feito sem conhecer a realidade fundiária deste estado onde há grupos fascistas que recomendavam, inclusive, banho de querosene sobre os acampamentos sem terra...

A questão agrária não é dramática somente no norte do Brasil.

Por fim, acredito que este tipo de política de extermínio recomendada para sociólogos das grandes instituições de ensino e pesquisa do país só nos mostra que estamos no caminho correto. Enfrentando o senso comum que permite com que se tenha a abissal desigualdade como um fato natural e até mesmo "justo". Imagino o tipo de desconforto causado com a perda de sentido dos elementos que conferem substância ao cotidiano ignorante deste "Aguinaldo Silva".