terça-feira, 27 de maio de 2008

A pobreza não é mais um “privilégio” dos trópicos


Para o espanto de muita gente, a foto ao lado não é de alguma grande cidade brasileira. Esta foto retrata a capital de uma das maiores economias do planeta, e também de um país reconhecido por sua ampla igualdade social. Esta cena em que jovens limpam os vidros dos carros no sinal, e depois pedem algum trocado, se passa em Berlim, Alemanha, e de forma idêntica como ocorre no Brasil. E para maior espanto, ressalto que não é uma cena tão rara assim, há pedintes por todo lado na cidade, além de um terço da população da cidade receber alguma ajuda do Estado para se manter. O aumento de concentração de renda tem sido um fenômeno mundial, o abismo entre ricos e pobres cresce no mundo todo, o que tem feito alguns estudiosos chamarem essa tendência de “brasilização” do mundo. O que a nós só envergonha. . .

5 comentários:

Fabrício Maciel disse...

Brand, não podemos nos esquecer de que a pobreza como você apresenta, na Europa, é um fenômeno bem novo, surgindo em um momento alto de sua história, o que faz com que seja conjuntural. Em nosso caso, a situação é bem mais grave, pois conhecemos a ralé desde o princípio, o que faz com que seja estrutural, marcando toda a história de nossa cidadania e democracia. Não é privilégio nosso mas aqui o buraco ainda é bem mais embaixo, como podemos ver muito bem em Campos, por exemplo.

Anônimo disse...

Tenho acompanhado, através da imprensa e dos blogs, as idas e vindas da discussão da frente, que está sendo chamada de Terceira Via.

O movimento se iniciou de forma espontânea, quase por acaso, junto com o movimento chega de palhaçada. E foi crescendo e tomando corpo o que assustou a maioria dos blogueiros, seus criadores, que no inicio estavam dando a maior força, hoje praticamente não tocam no assunto, acho que por medo do monstro que criaram. Em contra partida a imprensa conservadora apropriou-se da idéia e passou a defendê-la, a seu modo, dando amplos espaços em seu jornal para aqueles que mais lhe interessa.

Isso não aconteceu porque são bons burgueses e democráticos. Eles perceberam que esse é um anseio da sociedade campista e em particular daqueles que não tem uma boquinha na prefeitura, que por enquanto ainda é a maioria da população, pelo menos eu acho.

Essa imprensa que sempre esteve a favor dos que estão no poder, está se sentido tão a vontade e segura, que todo dia escala um prefeitável, para ver qual ao final, mais lhe convém e agrada a classe dominante. É lógico, sem deixar desamparado o grupo que sempre apoiou, ou seja, o de Arnaldo / Mocaiber. Na verdade esse apoio a Terceira Via ou Primeira Via como preferem chamar é um apoio estratégico, caso ocorra algum desastre com Arnaldo / Mocaiber, eles tem como opção o candidato da Terceira Via, e que de preferencia seja alguem ligado a eles e a oligarquia dominante. Já que um acordo com Garotinho, que já apoiaram, e seu grupo é quase impossível, apesar de a muito, também, representarem os interesses das oligarquias falidas de Campos, com a mesma roupagem populista do Grupo de Arnaldo / Mocaiber. Afinal são farinha do mesmo saco.

Bem e nós?

Estamos nadando em círculos, com as velhas e intermináveis pecuinhas, rancores, projetos pessoais e egos elevados. Deixando nos pautar pelo jornal Folha da Manhã, e escapar entre os dedos uma oportunidade única, por comodismo, falta de maturidade política, de visão estratégica e de capacidade de analise da atual situação politica de Campos.

Companheiros do PT vamos parar de olhar só para o nosso umbigo. Vamos deixar de lado as picuinhas, os rancores e as cobranças intermináveis dos erros do passado (dos outros, porque os nossos são sempre esquecidos ou justificados), assim como os projetos pessoais ou de grupos.

Vamos agir com maturidade, pragmatismo e despreendimento pessoal, visando montar uma frente com o PSDB e outros partidos, que tenha condições de ganhar a prefeitura, derrubando esse grupo populista e corrupto, que está no poder a 20 anos.

Vamos unir os candidatos a vereadores em uma única nominata para que possamos fazer o maior numero de vereadores possível.


Tenho visto, a alguns dias, nos blogs, a sugestão de um blogueiro para que a nominata dos vereadores além de contar com o Feijó, contasse também com o Dr, Mackoul. Essa sugestão, pode até de inicio parecer loucura, mas se analisarmos em termos estratégicos, é perfeita, porque se isso ocorresse, certamente conseguiríamos eleger uma grande bancada, talvez a maior bancada da camara de vereadores, por que os dois são grandes puxadores de voto e certamente serão os mais votados.

Espero que os dois tenham humildade, para analisar essa proposta, dentro de uma visão estratégica de médio e longo prazo, para eles, para os partidos e principalmente para a cidade, e que tenham o despreendimento e a humildade necessária, para embarcar nela.

Quanto a escolha dos candidatos a prefeito e vice, deve-se buscar nos quadros partidários aqueles que representem o melhor sentimento de ruptura com tudo que está ai e que consigam passar para a sociedade que eles não tem nenhum tipo de comprometimento com o passado politico recente da cidade ( últimos 20 anos), e que são capazes, competentes, éticos, honestos e que serão capazes de conduzir o município para o progresso, tirando-o desse atoleiro de incompetência e corrupção, que está mergulhado a anos.

Espero que com este texto, eu consiga trazer para reflexão dos companheiros do PT e do PSDB, essas ideias e iniciar uma discussão de propostas, sem rancores, projetos pessoais e picuinhas, para que possamos construir algo novo para o futuro de nossa cidade.

Não tenho a pretensão de ser o dono da verdade, mas tenho certeza que estamos vivendo um momento único nos últimos 20 anos, e que não podemos desperdiçar por imaturidade politica, vaidades pessoais,ou erro de avaliação e estratégia.

Temos condições de eleger o prefeito e fazer a maior bancada da camara, basta somente, querermos e termos maturidade e o despreendimento que o momento exige, e que algumas pessoas não coloquem os interesses pessoais acima do coletivo.

E vamos a luta até vitoria final.


E blogueiros vamos deixar a apatia de lado e trazer essa discussão para o centro da sala.

Brand Arenari disse...

Seu comentário é longo, vou apenas pontuar algumas coisas. Se tem algo que os blogueiros não tem sido até agora, é apáticos. Todos nós nos expomos, colocamos o nosso nome, e assumimos as nossas posturas. Os Blogueiros tem feito seu papel, de acordo com as armas que se tem, ou seja, pequenas. Mas já causaram um grande efeito. A questão é que não é possível bater o escanteio e ir fazer o gol de cabeça. Nós somos blogueiros, e não um partido político, não podemos fazer tudo. O que fazemos é abrir espaço para um tipo de debate que nunca houve em Campos, além de cobrar posturas de nossos políticos. Enquanto blogueiros, é o que nós podemos fazer.

Xacal disse...

atribuir responsabilidade e tarefas que excedem a capacidade dos blogs é o mesmo equívoco de resumir o debate as páginas dos jornais e outros meios de comunicação...

é bom lembrar que os blogs não têm posição oficial, pelo menos esse aqui, e outros de mesma linha...

blogs como ferramenta de campanha só quando a campanha começar de fato, e de direito...

há uma grande frustração em relação a postura de alguns blogs em relação ao "chega de palhaçada"

ora, desde o início já denunciávamos os limites de movimentos espontâneos, sem deixar de reconhecer a importância dos mesmos...

cada etapa a seu tempo...agora é hora da articulação e negociação política, que parece causar hojeriza em quem "delira" com uma política sem política e políticos...

uma autêntica eugenia ideológica...

Xacal disse...

perdão, leia-se: "política sem partidos e sem políticos."