terça-feira, 15 de abril de 2008

Sobre royalties e razão pública – o que é fazer da sociologia um esporte de combate? - Parte I

Um dos mais brilhantes intelectuais da segunda metade do último século, o sociólogo Pierre Bourdieu, é associado a uma provocadora, mas, instigante e beligerante imagem de uma das três co-irmãs que constituem as ciências sociais por conta de uma sintética observação. Bourdieu disse que a “sociologia é um esporte de combate”. Esta pequena assertiva combina-se perfeitamente com a biografia do sociólogo que opta por este ofício ao deparar-se com a cruel batalha anti-colonial argelina e que toma, por dever moral, sua posição ao lado dos rebeldes ao imperialismo francês. Poderíamos aqui ainda enumerar outros feitos deste vulto do pensamento pós-estrutural francês mas nos interessa apenas observar que utilizar a sociologia como esporte de combate significaria, em nosso contexto, mobilizar igualmente algumas de suas armas-conceitos em prol de uma perspectiva progressista ou mesmo empunhá-las em um sentimento claramente republicano aqui em nossa aviltada planície.

Acompanhei a importante e inovadora cobertura realizada pelos blogs de Roberto Moraes, do Xacal e do coletivo de jornalistas intitulado apropriadamente de “Urgente”. Esta cobertura foi concernente ao debate acerca dos royalties realizado neste dia 15 de abril na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal. Nenhum dos três blogs tem qualquer poder de gestão sobre estes recursos estando situados nesta verdadeira terra de ninguém que resumimos com o conceito guarda-chuva “sociedade civil”. Em jargão muito utilizado na Campos Pós-11 de março: “Eles não tem a caneta”.

Utilizando-me da intuição inspirada no método comparativo fui observar outros três blogs que visito com alguma freqüência. Mas estes seriam blogs dos “landlords” do poder local (não os cito por uma questão de conveniência). E até as 22 horas nenhum deles fez qualquer comentário sobre a CAE. Para fins de análise comparativa adianto que observei: um blog de um ex-dirigente local situado em um passado nada distante; um blog de membro do staff administrativo da gestão afastada pela justiça; um blog de um senhor atuante no poder local neste momento, em outro nível, e é um dos “prefeitáveis”.

Destes, do grupo dos que “detiveram a caneta” não há qualquer comentário. É como se o tema royalties se passasse em outra dimensão. Neste momento todos os três disparam denuncias contra si. Mas é uma luta fratricida dado que no DNA da gestão pública municipal todos os três são co-irmãos, não só pela ascendência direta da caneta mas sim pela tradicional truculência com que praticam sua política cotidiana (todos já foram aliados em algum momento).

Este seria um dos motivos pelos quais há a completa ausência dos dirigentes locais na reunião da CAE no Senado. Estão demasiado preocupados em aparecer no espaço público destruindo simbolicamente o outro mais do que apresentando propostas. Também alguns fazem apologia da impunidade. Mas não só isso.

(continua...)

George Gomes Coutinho – sociólogo e doutorando em sociologia política pela UENF

6 comentários:

Xacal disse...

Senhores...

Cansei...para falar a verdade, não há solução no embate político que dê jeito...tais grupos que se revezaram no poder, criaram uma "certeza", uma dimensão paralela, onde as regras que conhecemos não funcionam...

creio que o melhor é assistir para ver até onde vai...como diria Lênin, um passo atrás...para dar dois à fernte...

só há a possibilidade de extrapolar as contradições e esperar pela dialética...

cansei...

é duro enxergar a casa caindo, e os "caras" só na "rapina" para ver se "sobra algum"...

que venham SP, e outros municípios...

Beremiz disse...

"Cansei" vc está avacalhando! Vamos discordar, até brigar, mas "cansei" é sacanagem. Deixa isso pros direitaços!

Abraços,

Beremiz

Xacal disse...

isso é um jeito delicado de dizer:
foda-se campos...

George Gomes Coutinho disse...

só para constar:

passaram 12 horas. São aqui 10 da manhã na minha máquina.

Visitei os outros 3 blogs mais uma vez e nada se comenta sobre os roaylties...

Estou tão atordoado que não sei se consigo achar uma explicação convincente para tal.

Por fim não desista Xacal. O "cansei" é um tipo de niilismo tipo "b". Mas compratilhamos a indignação sem dúvidas...

George Gomes Coutinho disse...

Informação atualizada:

18:40, dia 16 de abril. nenhum dos três blogs do grupo social dos que tinham (ou têm) a caneta nas mãos faz qualquer comentário sobre a questão dos royalties.

De fato eu devo estar equivocado.. Possivelmente este debate deva interessar a marcianos e inca venusianos e não aos ex-gestores ou atuais daqui de Campos.

Paulo Sérgio disse...

É George... acho que os "digníssimos" vão te dar um chá de cadeira mesmo.